1/11/2016

Novo estudo revela possível ritual de acasalamento dos dinossauros


Ossos fossilizam. Até penas podem fossilizar. Porém há algo iovador nas investigação de fósseis, os paleontólogos estão descobrindo proteínas e outros materiais biológicos frágeis que podem ser preservados por milhões de anos. Mas a um aspecto da vida que muito raramente fossilizam: o comportamento. A forma como os dinossauros interagiam uns com os outros é uma parte da vida antiga que os paleontólogos apenas não estão costumados à descobrir de qualquer maneira direta.  Mas esta semana um relatório públicado na Scientific Reports, o paleontólogo Martin Lockley e co-autores da  University do Colorado, apresentaram algumas evidências convincentes do comportamento dos dinossauro de modo que nunca antes foram vistos nos registros fósseis.

Estes sinais são marcas de arranhões na areia fossilizada conhecido como "pseudo-construção de ninhos". Este comportamento é visto em uma variedade de grupos de aves sobrevivente. Os machos formam grupos e fazer marcas de arranhões no chão como um ritual de acasalamento que se destina a atrair as fêmeas para fazer um ninho e acasalarem com o mais atraente de todos eles.

Apesar do fato não há nenhuma evidência direta de nidificação na área onde foram descobertos estes fósseis, Lockley e colegas supõem que estas marcas encontradas foram feitas por dinossauros tentando impressionar potenciais companheiros. Esses traços de exibição no ninho são encontrados em Dakota, no arenito do Colorado, uma formação rochosa de idade aproximada de 100 milhões de anos que é também anfitriã de uma variedade de pegadas de dinossauros e pegadas de vertebrados, embora esses riscos nos ninhos são os primeiros de sua espécie.

Lockley não encontrou apenas uma marca do zero, mas 60. E alguns deles são bastante grande, vários pés de comprimento. Esta descoberta levanta a possibilidade de que provas concretas da seleção sexual foi descoberto em dinossauros não-aviários, algo que iludiu os pesquisadores durante o tempo que o campo tenha existido. A seleção sexual é um processo onde os machos estão competindo para  realizar uma forma de atrai as fêmeas, e alguns machos são escolhidos em detrimento de outros. Lockley disse, "Esta é uma evidência física das preliminares pré-histórico, que é muito semelhante às aves de hoje. As aves modernas usam cerimônia de raspar o solo, geralmente fazê-lo perto de seus locais de nidificação finais. Assim, a evidência fóssil de raspagem oferece uma pista tentadora que os dinossauros em "calor" poderão se reuniram aqui há milhões de anos para se reproduzir e, em seguida,  raspavam o ninho próximo. "

No entanto, essas marcas de raspagem no solo pode ser interpretado de várias maneiras diferentes. Hipóteses alternativas como; que estas marcas representam evidência de uma procura de alimento ou marcação de território, também são mencionados no estudo. O paleontologista Tom Holtz da Universidade de Maryland, diz que, não estava envolvido com este estudo, porém, expandiu em algumas das explicações alternativas para estas marcas. "Nós sabemos de exemplos modernos que os grandes carnívoros são expers em comer pequenas criaturas", explicou Holtz, mencionando especificamente a propensão de que ursos pardos têm por excessiva ingestão por meses. "Portanto, pode haver algum tipo de animal de pequeno porte que era abundante na época, e os dinossauros foram misturando-se para comê-los."

Embora tanto a alimentação do zero e exibição de hipóteses para a poserior raspagem do ninho, são um pouco apoiados. Esta descoberta é um olhar verdadeiramente tentadoro no comportamento dos dinossauros preservado e que venha a ser aumentado nos próximos anos.

[ Forbes Science ]
Copyright © 2015-2016. Todos os direitos reservados. The Scientific Universe! | Designed By Blogger Templates
Scroll To Top