3/02/2016

Como é a vida na Estação Espacial Internacional?


Existem atualmente sete bilhões de pessoas vivendo na Terra. Apesar de muitos habitantes de nosso planeta terem vidas tão distintas, praticamente todos nós partilhamos certas experiências.

Todos os dias fazemos coisas de modo tão rotineiro, que quase não nos damos conta que as fazemos; por exemplo, levantar a cabeça do travesseiro quando acordamos pela manhã, ou ao procurarmos por algo para calçar antes de darmos os primeiros passos do dia.

Essas pequenas experiências de viver e se locomover em torno do mundo físico que nos rodeia são compartilhadas por cada um de nós.

Mas existem seis pessoas no meio destes sete bilhões cujo dia a dia é bem diferente de tudo o que é feito aqui na Terra. Elas passam o tempo todo flutuando a 400km de altitude a bordo da Espação Espacial Internacional. O cotidiano delas é ao mesmo tempo semelhante e totalmente diferente do nosso.

Ao acordar


Os astronautas dormem em uma das quatro subseções existentes no módulo Harmony. O dia deles começa às 6 da manhã, quando as luzes são acesas pelo controle central da missão. É o sinal de que é chegada a hora de levantar. As expressões "para cima" e "para baixo" acabam tendo uma conotação relativa quando você passa a noite flutuando dentro de um saco de dormir no teto de um pequeno cubículo.

Após despertar, a rotina deles se assemelha à nossa aqui na Terra, com uma visita ao banheiro. São pequenos detalhes como escovar os dentes que ressaltam a estranheza do que é viver num ambiente sem gravidade. A escova e a pasta de dentes podem ser deixadas flutuando no ar que a água ficará retida nas cerdas da escova. Mas como fazer para cuspir quando você tiver terminado?

Com os dentes devidamente limpos, é hora do café da manhã e da reunião matinal de planejamento diário com o restante da tripulação e com o controle central da missão . Em seguida, é hora das tarefas domésticas.

Manutenção


Praticamente todos os dias, a estação espacial requer manutenção de rotina e checagem de segurança. Num dia a tarefa pode ser desinfetar a superfície interna ou retirar suprimentos do depósito; em um outro, a tripulação pode ter que consertar algum equipamento essencial como o filtro de ar do módulo Destiny.



Praticamente todas as tarefas a serem feitas na estação são minuciosamente detalhadas e os astronautas recebem uma programação escrita pelas equipes do controle central da missão, listando cada atividade, passo a passo. 

Mesmo assim, de vez em quando as coisas não saem como programadas. Em geral, a maioria dos astronautas passam seus primeiros dias na estação espacial perdendo suas coisas. Tudo que usam tem que ficar permanentemente fixado, usando-se para tal velcro, clipes, ímãs, fita adesiva ou elásticos.

Uma ida à academia


Ficar flutuando no espaço pode ser gostoso, mas pode acabar representando um sério risco à saúde dos tripulantes. Um dos principais objetivos da estação espacial é descobrir que efeitos a gravidade zero tem sobre nosso corpo. Esse tipo de conhecimento será essencial para uma eventual missão a Marte. 



O que já sabemos sobre a vida em órbita é que a falta de gravidade deixa os ossos dos astronautas mais quebradiços e como não é necessário muito esforço para se locomover, seus músculos acabam perdendo a força.


Para retardar esse processo, cada tripuante tem que se exercitar por pelo menos duas horas por dia. Existem três aparelhos que eles podem utillizar: uma esteira, uma bicicleta ergométrica sem selim, já que não é possível se manter sentado em ambiente de gravidade zero, e o chamado ARED (Advanced Resistive Exercise Device). O equipamento, instalado no módulo Tranquility, foi levado recentemente à estação espacial e é um miniginásio de levantamento de peso que utiliza tubos de vácuo para simular a resistência dos pesos.

Almoço


A semana no espaço também se divide em dias úteis e fins de semana. Durante a semana, cada astronauta segue sua própria programação e, apesar de trabalharem muitas vezes em duplas e às vezes em pequenos grupos, raramente toda a tripulação consegue almoçar ao mesmo tempo, a não ser aos domingos, quando fequentemente eles flutuam juntos à mesa curtindo a refeição em equipe.

Os alimentos chegam à estação espacial em diferentes formatos. As comidas desidratadas são acondicionadas em bolsas em que são misturadas com água quente antes de serem consumidas. Os cosmonautas russos ainda recebem suas refeições em latas que são aquecidas antes de serem abertas. A mesa original existente no módulo Zvezda possui compartimentos especiais onde é possível esquentar as comidas enlatadas.

Como em uma mesa de jantar comum, os astronautas também têm a sua disposição mostarda, ketchup e molho de pimenta, mas o sal e a pimenta do reino foram transformados em líquido para evitar que a estação espacial ficasse cheia de grãos flutuantes.

A tripulação aguarda com ansiedade a chegada de novo suprimento de frutas frescas. As frutas não duram mais no espaço do que na Terra, portanto, têm que ser consumidas sem muita demora.

A chegada de uma nova carga de alimentos, bem como as raras refeições feitas em grupo, são eventos importantes para manter elevado o moral da tripulação. A atenção com o moral dos tripulantes é uma das maiores prioridades do controle central da missão, até porque, apesar de ser extremamente atraente, a vida no espaço impõe uma rígida rotina diária que pode acabar sendo repetitiva e sem graça.

Ninguém sonha em ser astronauta para ficar executando tarefas de checagem de instrumentos, mas isso acaba sendo uma grande parte do trabalho do que se pode imaginar.

Experiências


A principal razão para a existência da EEI é que ela funcione como um laboratório de pesquisa científica único no mundo, no qual cada astronauta, vivendo sob gravidade zero, se torne também objeto de pesquisa para os cientistas ao voltar para a Terra.



Os astronautas só ficam sabendo os detalhes das experiências em que vão trabalhar na etapa final do treinamento e passam um bom tempo praticando com o equipamento antes de seguir para a temporada no espaço.


Existem cinco módulos de laboratórios na estação espacial: a Rússia possui dois Mini Módulos de Pesquisa; o módulo americano chama-se Destiny; o Columbus é operado pela Agência Espacial Europeia e o Japão tem o módulo instalado mais recentemente, o Kibo, incluindo a plataforma externa que permite que sejam feitas experiências do lado de fora da estação.

Os experimentos feitos e registrados pelos astronautas cobrem uma ampla variedade de temas. Já foram feitas experiências observando-se os efeitos da gravidade zero sobre diferentes tipos de materiais, sobre células vivas e até sobre pequenas explosões. O local também é excelente ponto de observação da Terra, de onde se pode fazer novas medições e imagens ao longo do tempo.

Já foram enviados à estação espacial diferentes tipos de animais, desde camundongos, formigas, peixes e até mesmo vermes. O objetivo é analisar como a gravidade zero afeta seus corpos e comportamento, mas o maior objeto de estudo são com toda certeza os próprios astronautas.

Um dos objetivos mais importantes da estação espacial é observar o impacto de longo prazo que a falta de gravidade causa no corpo humano de modo que se possa planejar futuras missões espaciais mais longas, como a ida a Marte. As agências espaciais também aproveitam para testar novas tecnologias que serão usadas em missões deste tipo.

Dando uma volta no espaço


Às vezes, as tarefas de manutenção da estação espacial se tornam um desafio ainda maior, por exemplo, quando a peça que necessita conserto fica do lado de fora de um módulo. A chamada Extra-vehicular activity (EVA), ou caminhada espacial (spacewalk), não é uma tarefa regularmente feita pela tripulação, mas com certeza é dos momentos mais marcantes da vida de um astronauta. 

É também uma das tarefas mais arriscadas e por isso é planejada minuciosamente em cada detalhe um mês antes de ser executada. Os astronautas levam 4 horas apenas para vestir a roupa usada nas caminhadas espaciais. A lista de verificação dos equipamentos instalados na roupa espaciais tem quase 100 páginas. Como precaução todas as EVAs são feitas em dupla, de modo que se houver algum problema com um dos astronautas ele poderá ser ajudado pelo outro. 

Os atronautas podem levar até oito horas no exterior na execução de tarefas. Como parte do treinamento em Terra, eles praticam durante horas executando tarefas semelhantes debaixo d´água, usando um modelo da EEI que é colocado no interior de um enorme tanque com água. Podemos dizer que a vista que eles têm do lado de fora da estação espacial é um pouco mais sensacional.

Tempo Livre


Uma vez terminadas as tarefas diárias, a tripulação é liberada para fazer o que quiser durante a noite. Os astronautas podem ligar ou enviar e-mail para seus parentes e amigos, ler ou assistir a um filme. Sessões recentes de cinema incluíram os filmes 'Gravidade' e o 'Perdido em Marte'.



Chris Hadfield se tornou um dos mais famosos recentes astronautas depois de aparecer em um vídeo tocando violão no que acabou virando o primeiro clipe musical feito na estação espacial. Ele virou uma celebridade no Twitter e acabou inaugurando uma fórmula que é seguida hoje por seus colegas para se comunicar com a população terráquea.

Provavelmente, o passatempo preferido dos astronautas é ficar olhando pela cúpula do módulo Tranquility e ver a Terra girar abaixo da estação. Os astronautas têm compartilhado esses momentos especiais com todos nós ao postar na internet fotos incríveis de cidades, florestas e furacões. Antes de dormir, flutuando a 400 km de seus parentes e amigos, eles têm postado estas fotos usando os computadores existentes em seus cubículos.

[ BBC Brasil ] 


  • Gostou? Então compartilhe e siga-nos também no Facebook Twitter.
Copyright © 2015-2016. Todos os direitos reservados. The Scientific Universe! | Designed By Blogger Templates
Scroll To Top