1/18/2017

Conheça 5 dos animais mais raros do planeta


Atualmente, existe uma variedade de animais que estão ameaçados de extinção, e poderemos perder a oportunidade de apreciar as suas peculiaridades e belezas raras. Algumas dessas espécies foram registradas pelo fotógrafo da vida selvagem Joel Sartore da National Geographic.

Com 20 anos de experiência, o trabalho de Joel já o levou a registros incríveis da natureza em centenas de partes do mundo, desde o Ártico até a Antártida, documentando espécies e paisagens ameaçadas de extinção a fim de mostrar o quanto vale a pena tentar salvar o nosso mundo.

E, na galeria abaixo você vai poder conferir 10 dos animais mais raros do mundo e que estão prestes a desaparecer da face da Terra. Segundo o site da National Geographic, Sartore escolheu um formato de registro fotográfico em que todas as criaturas parecessem do mesmo tamanho a fim de retratar a igualdade na importância de cada espécie. Confira abaixo:

1 – Leopardo-de-amur



O leopardo-de-amur, também conhecido como leopardo-siberiano, é uma das mais raras subespécies de leopardo, tendo apenas atualmente cerca de 50 exemplares no mundo. Ele é encontrado na região de Primorye, da Rússia, e em algumas regiões da China que fazem fronteira com o território russo.
A sua ameaça de extinção é considerada crítica pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). O exemplar que você vê na foto acima é o leopardo-de-amur chamado Usi, que está no Zoológico de Omaha, no Nebraska (EUA).

2 – Rinoceronte-de-sumatra



Conhecido por ser a menor das espécies de rinocerontes e o que tem mais características primitivas, o rinoceronte-de-sumatra tem sido alvo de caçadores há muito tempo devido ao valor de seus chifres. Atualmente, a ameaça à espécie também é considerada crítica, sendo que o número de indivíduos atualmente está estimado em menos de 275 exemplares.
O rinoceronte-de-sumatra que você vê na imagem acima (e parece emergir das sombras) é o Harapan, que tem apenas quatro anos de idade e vive no Centro de Conservação de White Oak, na Flórida.

3 – Gorila da planície ocidental



Este animal (nome científico: Gorilla gorilla gorilla) é uma das duas subespécies do gorila ocidental que vive em florestas primárias e secundárias, além de pântanos da planície, na África Central, em Angola, Camarões, República do Congo, Guiné Equatorial e Gabão.

Pesquisas realizadas desde a década de 1980 sugerem que a caça comercial e os surtos do vírus Ebola estão por trás da queda do número das espécies de gorila na África. Com as últimas epidemias, o número pode ter caído ainda mais.
Atualmente, o Zoológico de Cincinnati, nos Estados Unidos, abriga cerca de 550 indivíduos da espécie na sua unidade de conservação, liderando os nascimentos em cativeiro. O pequeno gorila de apenas seis semanas de idade — sexo feminino — da imagem acima clicada por Joel Sartore é um dos nascidos nesse zoológico.

4 – Rato-pigmeu de montanha



O rato-pigmeu (ou gambá-pigmeu) faz parte da família Burramyidae de marsupiais que vivem em ambientes frios e montanhosos do sul da Austrália. Eles são pequenos, pesando cerca de 45 gramas. São animais noturnos e onívoros, vivendo de uma dieta de invertebrados, frutos, sementes, néctar e pólen.

A partir de 2008, o animal foi incluído na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) como criticamente em perigo. As estimativas populacionais totalizaram menos de 2 mil indivíduos de três populações isoladas, estando em sério declínio.

As maiores ameaças para as populações dessa espécie incluem destruição e fragmentação do habitat e alterações climáticas, além de predação por gatos selvagens e raposas vermelhas. A construção de resorts de esqui nas regiões alpinas da Austrália tem sido também um dos maiores fatores atribuídos ao declínio da população.

5 – Crocodilo-filipino



O crocodilo-filipino (Crocodylus mindorensis), também conhecido como o crocodilo Mindoro ou o crocodilo de água doce filipino, é uma das duas espécies de crocodilo que são encontradas nas Filipinas.

Ele é um animal relativamente médio de tamanho: os machos geralmente não crescem mais do que cerca de 3 metros de comprimento, enquanto as fêmeas são ainda menores. Esta espécie é uma das de crocodilianos mais severamente ameaçadas.

Existem apenas cerca de 250 no seu habitat selvagem em um registro feito em setembro de 2011, de acordo com um artigo do National Geographic. Além de seus locais, como lagos, lagoas e pântanos, terem sido amplamente convertidos em plantações de arroz nas Filipinas, o animal também sofre com caça e métodos de pesca destrutivos.

[ Mega Curioso / National Geographic ]

  • Gostou? Então compartilhe e siga-nos também no Facebook Twitter.
Copyright © 2015-2016. Todos os direitos reservados. The Scientific Universe! | Designed By Blogger Templates
Scroll To Top